40 anos de cooperação e contando com a Convenção Aérea da UNECE - BreatheLife2030
Atualizações de Rede / Genebra, Suíça / 2019-12-17

40 anos de cooperação e contando com a Convenção Aérea da UNECE:

Ministros e representantes de alto nível renovam o compromisso de combater a poluição do ar

Genebra, Suíça
Shape Criado com o esboço.
Tempo de leitura: 3 atas

Essa história foi publicado pela primeira vez no site da Climate and Clean Air Coalition.

Quando 32 Estados Membros assinaram a Convenção sobre Poluição Atmosférica Transfronteiriça a Longo Prazo, em 1979, não era evidente que ela se tornaria um quadro regional bem-sucedido para controlar e reduzir os danos à saúde humana e ao meio ambiente causados ​​pela poluição atmosférica transfronteiriça.

Ainda a realizações da Convenção na região da UNECE nas últimas 4 décadas foram nada menos que notáveis: as tendências da poluição do ar e o crescimento econômico foram dissociados. As emissões de substâncias nocivas, incluindo partículas e enxofre, foram reduzidas em 30-80% desde 1990 na Europa e 30-40% na América do Norte. Isso levou a solos florestais e lagos mais saudáveis. Na Europa, essas medidas são responsáveis ​​por mais 1 ano de expectativa de vida e evitam 600,000 mortes prematuras anualmente.

Para comemorar 40 anos de cooperação bem-sucedida sob a Convenção, as Partes da Convenção, os parceiros e os países fora da região da UNECE reuniram-se em Genebra, Suíça, nos dias 11 e 12 de dezembro, para uma Sessão Especial de Aniversário, realizada como parte da Convenção. 39 a sessão do órgão executivo da Convenção (9-13 de dezembro de 2019).

Na sessão, ministros e representantes de alto nível de mais de 50 países reconheceram marcos da Convenção, elogiaram o progresso na região e discutiram visões para o desenvolvimento futuro da Convenção. Os participantes reconheceram que a Convenção continuará sendo um instrumento crítico de cooperação ambiental internacional, dentro e fora da região da UNECE.

40 anos de ar mais limpo com a Convenção Aérea da UNECE

Os participantes também apresentaram desenvolvimentos recentes em seus países e compartilharam experiências e lições aprendidas, embora reconhecendo que ainda existem alguns desafios para implementar a Convenção, para os quais é necessário apoio adicional.

É importante ressaltar que ministros e representantes de alto nível aprovaram uma Declaração de Aniversário renovar seu compromisso de ação para um ar mais limpo na região, em conformidade com a Estratégia de Longo Prazo da Convenção para 2020-2030 e além.

Comemorando as conquistas sem paralelo da Convenção, a secretária executiva da UNECE, Olga Algayerova, pediu que haja muitos desafios pela frente, incluindo a redução de material particulado nas cidades e o enfrentamento da poluição por metano e nitrogênio. Ela enfatizou ainda que “embora a Convenção Aérea seja um instrumento regional, países e regiões de outras partes do mundo também enfrentam graves problemas de poluição do ar. As ferramentas científicas, modelos, dados, métodos de monitoramento, documentos de orientação e melhores práticas desenvolvidas sob a Convenção estão disponíveis para todos no mundo e podem fornecer uma excelente base para ações coordenadas entre diferentes regiões ”.

Reconhecendo a importância de uma cooperação mais forte dentro e fora da região da UNECE e a necessidade de compartilhar ainda mais a experiência e os conhecimentos da Convenção, as Partes da Convenção também lançaram uma nova iniciativa, o fórum de cooperação internacional em matéria de poluição do ar. Isso apoiará o intercâmbio internacional de informações e a aprendizagem mútua nos níveis técnico e político e pretende ser um repositório de informações técnicas e um convocador de países e organizações, facilitando o aumento da cooperação internacional nesse desafio crítico.

O ex-secretário-geral da ONU e presidente do Conselho Nacional de Clima e Qualidade do Ar da República da Coréia, Ban Ki-moon, descreveu a Convenção como "um acordo histórico que avançou de maneira incomensurável o progresso regional contra a poluição do ar e as mudanças climáticas". , estabelecendo um “precedente exemplar” para inspirar políticas e cooperação nacionais e regionais e, finalmente, progredir em direção a uma estrutura executável em escala global (veja o vídeo abaixo).

Helena Molin Valdés, chefe do Secretariado da Coalizão de Clima e Ar Limpo, disse que o 40º aniversário da Convenção foi um marco importante e congratulou-se com o lançamento do Fórum de Cooperação Internacional em Poluição do Ar.

Helena Molin Valdés, chefe do CCAC, falando no 40º aniversário da Convenção Aérea

“Precisamos conectar os pontos para avançar nos esforços globais para reduzir as emissões que causam poluição do ar e mudanças climáticas. O resto do mundo pode aprender muito com a 'Convenção Aérea' da UNECE, que em 40 anos conseguiu reduzir a concentração de poluição transfronteiriça para entre 40 e 80%, dependendo do poluente. Eles desenvolveram diretrizes, capacitação e mecanismos de conformidade ”, disse Molin Valdés. "Estamos prontos para apoiar o trabalho do Fórum de Cooperação Internacional em Poluição do Ar, especialmente para promover soluções para reduzir o carbono preto, o metano e o ozônio troposférico".

As partes também comemoraram o entrada em vigor (7 de outubro de 2019) do Protocolo de Gotemburgo alterado. O Protocolo é um exemplo de como a redução de poluentes do ar clássicos, como o enxofre, e poluentes climáticos de curta duração, como o carbono preto, que é um componente importante de partículas finas, pode ser integrada em um instrumento legalmente vinculativo.

Os eventos de aniversário também incluíram um jogo de negociação para futuros negociadores no campo da política aérea e eventos paralelos organizados por organizações parceiras.

As partes e outros países concordaram que a Convenção permanece tão relevante quanto há 40 anos e que desempenhará um papel importante no desenvolvimento futuro da política de ar limpo na região e fora dela.

Saiba mais sobre a Convenção e seu impacto no ar limpo aqui.

Ban Ki-moon destaca o impacto da Convenção Aérea em ações para combater a poluição do ar